NO QUE ACREDITAMOS

Quem somos e o que fazemos são influenciados pelas histórias que contamos sobre nos mesmos. Nós não podemos mudar as histórias que os outros contam sobre nós, mas podemos influenciar as histórias que contamos sobre nós mesmos e sobre aqueles com os quais nos preocupamos e gostamos.

Na vida de todos nós, existirão eventos que nos farão estremecer, aqueles que trarão sofrimentos, aqueles que nos trarão tristeza, aqueles que trarão vergonha. Se todos esses momentos forem ligados juntos em uma história, poderemos nos sentir sem esperança em relação à vida. Mas nas nossas vidas, existirão também eventos ou pequenos momentos de beleza, ou bondade, ou alívio, ou resistência. Quando todos esses eventos são ligados para contar uma história sobre nós, a vida se torna, então, mais fácil de viver.

Desta forma, buscamos honrar as habilidades especiais e qualidades pessoais que ajudam as pessoas a sobreviver a experiências difíceis. Buscamos explorar as habilidades de sobrevivência que possibilitam que as pessoas “naveguem através das horas de escuridão de suas vidas e em direção ao presente” (Michael White).

 Muitas vezes as ações que tomamos para tentar minimizar as experiências difíceis são pouco notadas, diminuídas, invisíveis, esquecidas, apagadas.

Assim, podemos ajudar os outros a reconhecer suas habilidades especiais e qualidades pessoais que possibilitaram que eles navegassem através da escuridão em direção ao presente.

Tradução Livre de partes do Livro:
“Recontando as histórias de nossas vidas”
David Denborough, 2014



PRÁTICAS NARRATIVAS COLETIVAS

É a denominação dada às intervenções coletivas baseadas nos pressupostos teóricos da Terapia Narrativa de Michael White e David Epston. Elas constroem formas das pessoas se perceberem como úteis e responsáveis socialmente, capazes de contribuir com suas histórias e ações, para a vida de outras pessoas.

Seus princípios básicos são:

  1. Considerar que as pessoas sempre se posicionam e reagem de algum modo aos problemas vividos por elas.

  2. Reconhecer que em toda história de um problema existem duas narrativas: a do problema em si e a de como a pessoa reagiu a ele.

  3. Entender as histórias de enfrentamento e superação de um problema na vida das pessoas como meio de reconhecimento de recursos, forças, habilidades, capacidades e valores já existentes.

  4. Relacionar as experiências individuais com situações coletivas;

  5. Construir formas das pessoas se perceberem como úteis e responsáveis socialmente, capazes de contribuir com suas histórias e ações, para a vida de outras pessoas que também passam por situações difíceis.

Essas práticas trabalham com a ideia que Paulo Freire denominou de ‘unidade na diversidade’. A partir do relato das experiências individuais, as pessoas conectam suas narrativas ao grupo, encontram pontos em comum, resgatam as forças individuais e coletivas e, com isto, conseguem contribuir com a vida de outros que também vivem situações de semelhante dificuldade.  Com base nesses princípios, considera-se que qualquer pessoa seja capaz de replicar esta prática, não somente os profissionais especializados.



TERAPIA NARRATIVA

A Terapia Narrativa foi desenvolvida nos anos 70 e 80, por Michael White e David Epston.

Esta abordagem entende que as pessoas são especialistas em suas próprias vidas. Considera que a identidade da pessoa é moldada através das narrativas que ela tem sobre si mesmo e suas experiências. Ela trata os problemas como situações separadas das pessoas e pressupõe que as pessoas têm diversas habilidades, competências, crenças, e valores, que podem ajudá-las a reduzir a influência dos problemas em suas vidas.


narratimedavida_img

METODOLOGIA NARRATIVA O TIME DA VIDA

A metodologia “O Time da Vida” foi criada por  David  Denborough  (PhD),  durante  uma experiência no Sudão, com jovens refugiados  e  ex-soldados  mirins.  Ele percebeu o poder que o esporte tinha na vida desses jovens ao observar que,  apesar  de  terem  vivenciado momentos  de   intensa  adversidade,  conseguiam se manter alegres durante todo o  jogo de futebol.



DESDOBRAMENTOS DO TIME DA VIDA


ico_tatame

O TATAME DA VIDA

“O Tatame da Vida” é uma metodologia narrativa que começou a ser elaborada em 2012. É uma adaptação da metodologia “O Time da Vida”, criada por David Denborough.

Buscando atender a um pedido feito por Rodrigo Nogueira, a equipe do Reciclando Mentes iniciou o desenvolvimento do “O Tatame da Vida” como uma forma de conversar com crianças sobre suas vidas, suas habilidades e sonhos.


O ATLETA DA VIDA

O Atleta da Vida é uma metodologia narrativa (um exercício), desenvolvida especialmente para o ano dos Jogos Olímpicos do Rio. Ela utiliza a metáfora do esporte para convidar jovens a pensar sobre suas vidas de uma forma diferente, refletir sobre suas escolhas e empreender ações para mudar o curso de sua história. Consequentemente, muitos jovens que se encontram em situação de risco poderão ter suas vidas modificadas.



JUNTE-SE A NÓS

Acompanhe nosso trabalho.





PATROCINADORES

image001